SOJA: A SAFRA TERMINA, O TRABALHO CONTINUA.

A Fenasoja é motivada pelo importante papel da Soja na região. Desde a semeadura até a colheita são aproximadamente 125 dias de trabalho árduo do agricultor. Além dos fatores do clima, como chuvas ou estiagem, a plantação ainda está sujeita a sofrer com as pragas.
Nos 45 municípios da região de Santa Rosa, segundo a Emater, foram cultivados em torno de 680 mil hectares do grão, com produtividade média atual estimada de 2.580 kg/ha, o equivalente a 43 sacas por ha. Para a região esta é a segunda maior média obtida nos últimos 20 anos.
Os estados de Mato Grosso, Paraná e Rio Grande do Sul, são responsáveis por 62% de toda a soja cultivada no Brasil. Segundo o projeto Soja Brasil, que tem como base a análise da produção em 110 cidades, localizadas em 13 estados Brasileiros, a safra 2014/2015 foi prejudicada pela falta de chuvas e pela doença da ferrugem. O relatório foi realizado na expedição do Soja Brasil entre novembro de 2014 e março de 2015 e destaca como ponto positivo da safra o uso de um conjunto de tecnologias, que reduzem os custos e mantem bons rendimentos ao produtor. A expectativa para a safra era a colheira de 95 milhões de toneladas de soja, e acabou próxima dos 93 milhões de toneladas.
Em 2016, na abertura da 21ª Fenasoja, será realizado o Encerramento Nacional da Colheita de Soja, quando serão apresentados os dados finais da colheita a nível de Brasil, deste importante cereal que mudou o cenário do país e, especialmente, da cidade de Santa Rosa.

safra 1